“só o que não se sabe é poesia”

Logo à tarde, a partir das 15h00, na mesa 3 das Correntes d’Escritas (Auditório Municipal da Póvoa de Varzim), este verso de Ferreira Gullar servirá de mote à sessão em que participo com Aurelino Costa, Ivo Machado, João Luís Barreto Guimarães, Lauren Mendinueta e Vergílio Alberto Vieira. Moderação de Francisco José Viegas.



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges