Sobre Borges

No suplemento Babelia, afirma Benjamín Prado, como se fosse uma grande provocação: «Borges era un poeta que también escribía prosa». Não há nisto provocação nenhuma. Basta ler a obra completa do escritor argentino. Borges era de facto um poeta que também escrevia prosa. Vou até mais longe: Borges era um poeta sobretudo quando escrevia prosa. Algumas das suas melhores odes são justamente as que não têm partição em versos.



Comentários

One Response to “Sobre Borges”

  1. João Pedro da Costa on Julho 21st, 2009 13:10

    Pois. Depende do que entendes por «poeta». No sentido etimológico de criador? No sentido aristotélico da forma? No sentido iluminista? No sentido romântico? No sentido eliotiano? No sentido formalista russo? No sentido dado por Kristeva ou Genette? etc. Para cada um desses sentidos há uma resposta diferente. Uma coisa é certa: Borges era um magnífico efabulador. E é por isso não de estranhar que algumas traduções dos seus textos superem os originais (como de resto, o próprio achava). Ora isto é pouco compatível com o estatuto de poeta.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges