Teaser

A modelo e actriz Inês Castel-Branco lê uma passagem do romance Rosa Vermelha em Quarto Escuro, de Pedro Paixão (Bertrand). O lançamento do livro acontecerá no dia 2 de Abril, às 18h30, na livraria Bertrand do Chiado.



Comentários

7 Responses to “Teaser

  1. Victor Abreu on Março 29th, 2008 14:28

    Péssima actriz e leitora atroz. E se o Paixão é escritor, vou ali e já volto. É favor subir os critérios de exigência deste blogue.

  2. luís gonçalves on Março 29th, 2008 16:52

    Pavoroso!

  3. tomás on Março 29th, 2008 17:26

    Yecchhhh!

  4. joaninha on Março 29th, 2008 18:24

    Salve-se quem puder, as modelitas e actrizes das novelas que anestesiam os portugueses já chegaram à literatura! Só faltam os actores dos Malucos do Riso a lerem poesia!

  5. José Mário Silva on Março 29th, 2008 19:19

    Victor Abreu,
    Eu também acho que a leitura é péssima. O livro não sei, ainda não o li. Mas se coloquei o vídeo foi porque o Pedro Paixão é um escritor importante (goste-se ou não) e justamente para os leitores poderem dizer de sua justiça.

  6. Manuel Pais on Abril 3rd, 2008 21:17

    Rosa Vermelha em Quarto Escuro é uma quase obra-prima. Mais vinte anos e poderá ser uma obra-prima. No entanto, é necessário saber ler e, sabendo ler, é necessário saber pensar para ser leitor deste romance, leitor no sentido de autor, ou “re-autor”. Quanto ao preconceito de catalogar as pessoas pelo que fazem ou fizeram, de lhes vedar a possibilidade de outras possibilidades, isso, para usar só um adjectivo, é nojento, mas talvez as pessoas que vieram para aqui deitar vómito de barriga vazia tenham menos de dezoito anos de idade. Boas leituras.

  7. Mó on Abril 21st, 2008 12:18

    Eu adorei o livro, de inicio confesso que foi “chocante”, a personagem a sofrer de amor por outra mulher, mais por não ser habitual. Mas com o desenrolar da história descobre-se que a personagem é muito interessante, o livro tem muito conteúdo, é rico. Lê-se muito bem eu li num ápice e recomendo!

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges