Tirar a limpo

Tal como eu temia, o comentário que transcrevi no post anterior é de um anónimo interessado em armar confusões e não do verdadeiro António Luís Catarino, que se apressou a enviar-me este e-mail:

Já não é a primeira vez que acontece. Inclusivamente, no seu blogue, já apareceu o mesmo tipo de comentários de alguém que se faz passar por mim. Não, não sou eu e seria impossível qualquer tipo de venda da Deriva. Fundei a editora, tenho por ela um carinho muito especial e mantenho o mesmo projecto editorial com as pessoas que se identificam connosco. Ultrapassando todas as dificuldades que vão aparecendo pelo caminho. Devido a este tipo de comentários em meu nome formalizarei, na próxima semana, uma queixa-crime contra desconhecidos no DIAP do Porto, estando a ouvir alguns conselhos legais e a ultimar os documentos necessários para o efeito.
Obrigado pelo seu pedido de esclarecimento.
Os meus sinceros cumprimentos,
António Luís Catarino

Resta saber, agora, qual é afinal a editora que Paulo Teixeira Pinto tenciona adquirir.



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges