Um acordo histórico

A Googlechegou a um acordo com a Association of American Publishers e a Authors Guild no sentido de expandir o acesso a milhões de livros esgotados, através da plataforma Google Books. A Google compromete-se a pagar os direitos que devia a autores e editores (suspendendo as respectivas acções judiciais). Em contrapartida, fica com a administração de um Book Rights Registry que vai gerir as futuras receitas obtidas com a comercialização do projecto.
Será isto bom para o consumidor ou apenas mais uma forma de monopólio engendrada pelos cérebros do Google, que passaram agora um cheque de 125 milhões de dólares mas asseguram uma rentabilização económica em larga escala nos próximos anos?
Eis algumas das primeiras reacções, apanhadas via Twitter de José Afonso Furtado (a quem tiro mais uma vez o chapéu): Olivier Ertzscheid, Sara Lloyd, James Grimmelmann, Kirk Biglione, Paul Courant (o título diz tudo: “The Google Settlement – From the Universal Library to the Universal Bookstore”) e este agregador de posts sobre o assunto (em contínua actualização).
Convém ler ainda a entrevista dada ontem ao The Wall Street Journal por Sergey Brin, um dos fundadores e patrões do Google.



Comentários

One Response to “Um acordo histórico”

  1. João André on Outubro 29th, 2008 9:22

    De notar que a coisa é só para os EUA…

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges