Um dia também gostava que o Prof. Joaquim Furtwangler apresentasse um livro meu

Ontem à tarde, junto ao stand da Tinta da China, o sempre imprevisível Prof. Furtwangler dissecou, com humor, desembaraço e algumas tiradas de génio, o último opus de Pedro Mexia: Estado Civil. Anunciado como um dos oradores, Ricardo Araújo Pereira faltou à chamada mas ninguém deu pela sua falta, tal o grau de hilaridade provocado na assistência pelos comentários e chistes do Prof. Furtwangler (na foto, em cadeira de rodas, entre a editora Inês Hugon e Pedro Mexia). Samuel Úria (à direita), cantautor de culto da seita FlorCaveira, também não esteve nada mal, interpretando dois temas que se encaixam perfeitamente no espírito do livro.



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges