A GOLBB no ‘Espalha-Factos’

Espalha-Factos: Porquê uma segunda edição da Grande Oferta de Livros Bibliotecário de Babel?
José Mário Silva: Por duas razões. Primeiro, a edição do ano passado correu muito bem e eu tinha deixado a promessa de repetir este ano, de preferência ainda com mais livros, mais participantes e talvez até trocas entre os leitores que apareçam no miradouro. Segundo, o motivo inicial (excesso de livros nas minhas estantes) permanece, pelo que se impunha outra “colheita”.

E-F: A sua casa é demasiado pequena ou ser crítico literário obriga a um consumo exagerado de livros?
JMS: A casa não é pequena nem grande, é média, um T3. Acontece que eu recebo muitos, mas mesmo muitos livros ao longo do ano, fora os que vou comprando nas livrarias. A densidade populacional nas estantes vai aumentando exponencialmente, até que se impõem medidas drásticas de controlo demográfico da livralhada.

E-F: Considera esta iniciativa importante em altura da afamada “crise”?
JMS: Com o pretexto da crise, eu podia vender estes livros nos alfarrabistas, ou na Feira da Ladra, e ainda fazia bom dinheiro. Acontece que sou incapaz de tirar lucros de livros que, na sua grande maioria, me foram oferecidos pelas editoras. Por isso, ofereço-os a quem tenha espaço e vontade de os ler. É uma espécie de retribuição. E fico contente por saber que os livros vão ser bem estimados, por pessoas que gostam de ler. Se além do mais isto permitir que os participantes poupem alguma coisa, em tempo de crise, melhor ainda.

A entrevista completa pode ser lida aqui.



Comentários

One Response to “A GOLBB no ‘Espalha-Factos’”

  1. Paula on Setembro 11th, 2011 21:42

    Parabéns pela inciativa, só tenho pena de não poder estar presente :(

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges