Torres de Papel (6)

E pronto, já está. Cerca de 600 livros empilhados, aguardando novos donos. Amanhã, estarão todos no miradouro do Monte Agudo, a partir das 11h00, disponíveis para quem os quiser levar (relembro: a cada pessoa, cinco ou seis volumes; assim, ninguém sairá de mãos a abanar).


Clique para aumentar

Eis mais umas dezenas de títulos a somar às outras listas:

A Fábula, de William Faulkner (Dom Quixote)
Cadáver Precisa-se, de Milton Fornaro (Quetzal)
A Casa da Floresta, de Marion Zimmer Bradley (Difel)
Taipi, de Herman Melville (Teorema)
O Meu Livro de Música, de António Victorino d’Almeida (Texto)
No Teu Deserto, de Miguel Sousa Tavares (Oficina do Livro)
Vaticano S. A., de Gianluigi Nuzzi (Presença)
O Túnel, de Ernesto Sabato (Relógio d’Água)
Coração das Trevas, de Joseph Conrad (Vega)
O Passado, de Alan Pauls (Dom Quixote)
A Casa da Praia do Açúcar, de Helene Cooper (QuidNovi)
Chocolate, de vários autores (Casa das Letras)
Letra Só, de Caetano Veloso (Quasi)
White Jazz – Noites Brancas, de James Ellroy (Presença)
A Viagem dos Sete Demónios, de Manuel Mujica Lainez (Vega)
Corpos Divinos, de Guillermo Cabrera Infante (Quetzal)
Confissão, de Lev Tolstói (Alfabeto)
A Rainha Sol, de Christian Jacq (Bertrand)
Infidelidades, de Woody Allen (Relógio d’Água)
Perseguição e Cerco a Juvêncio Gutierrez, de Tabajara Ruas (AMBAR)
A Escrita Dissidente – autobiografia de Ruben A., de Dália Dias (Assírio & Alvim)
Canções, de António Botto (Presença)
O Mistério de Listerdale, de Agatha Christie (ASA)
Pablo La Noche, de Marcello Mathias (Quetzal)
As Esquinas do Tempo, de Rosa Lobato de Faria (Porto Editora)
Propaganda e Opinião Pública, de Noam Chomsky (Campo das Letras)
O Fiel Jardineiro, de John LeCarré (Dom Quixote)
Músicas da Consciência, de Luís Carmelo (Europa-América)
Quando Lisboa Tremeu, de Domingos Amaral (Casa das Letras)
Como Construir Uma Máquina do Tempo, de Paul Davis (Gradiva)
O Lugar da Utopia, de José Manuel Heleno (Fim de Século)
True Grit – Indomável, de Charles Portis (Presença)
Arabescos, de Anton Schammas (Dom Quixote)
Suplemento à Viagem de Bougainville, de Denis Diderot (Fenda)
Que o Diabo Leve a Mosca Azul, de John Franklin Bardin (Relógio d’Água)
Uma Data em Cada Mão – Livro de Horas I, de Maria Gabriela Llansol (Assírio & Alvim)
Morreste-me, de José Luís Peixoto (Quetzal)
Adriana Mater, de Amin Maalouf (Difel)
A Ilha da Páscoa, de Pierre Loti (Teorema)
Orgias, de Luís Fernando Veríssimo (Dom Quixote)
Sudoku 1, de Michael Mepham (Gradiva)
O Barulho das Chaves, de Philippe Claudel (ASA)
A Magia Sexual, de Alexandrian (Antígona)
Terra Morta, de Castro Soromenho (Campo das Letras)
Antologia Poética, de Miguel de Unamuno (Assírio & Alvim)
A Raiva e o Orgulho, de Oriana Fallaci (Difel)
Paraíso Travel, de Jorge Franco Ramos (Temas e Debates)
As Asas do Medo, de Paco López Diago (Alfabeto)
O Futuro Radioso, de Alexandre Zinoviev (Dom Quixote)
Homem em Armas, de Horacio Castellano Moya (Teorema)
A Simbólica do Espaço em ‘Senhor dos Anéis’, de Maria do Rosário Monteiro (Livros de Areia)
Infanta, de Bodo Kirchhoff (ASA)
A Cristandade ou A Europa, de Novalis (Antígona)
Afogados, de Carlos Eugenio Lópes (Estrofes & Versos)
A eternidade não é de mais, de François Cheng (Bizâncio)
Evocação de Sophia, de Alberto Vaz da Silva (Assírio & Alvim)
História do Século XX – 3.º volume, de Bernard Droz e Anthony Rowley (Dom Quixote)
O Rapaz que Chutava Porcos, de Tom Baker (Teorema)
Beatriz e Virgílio, de Yann Martel (Presença)
De Cada Amor Tu Herdarás Só o Cinismo, de Arthur Dapieve (Quetzal)
O Diário de Rutka, de Rutka Laskier (Sextante)
Poemas de Deus e do Diabo, de José Régio (Quasi)
Criaturas do Ar, de Fernando Savater (AMBAR)
As Memórias de um Espírito, de Germando Almeida (Caminho)
O Visível e o Invisível, de Lucia Etxebarría (Editorial Notícias)
Tu, Meu, de Erri de Luca (Bertrand)
Espera de Deus, de Simone Weill (Assírio & Alvim)
Pedra-de-paciência, de Atiq Rahimi (Teorema)
O Regresso do Soldado, de Rebecca West (Relógio d’Água)
Entre os Dois Palácios, de Naguib Mahfouz (Civilização)
Declaração Universal dos Direitos do Ser Humano, de Raoul Vaneigem (Antígona)
Que Força é Essa, de Madalena Barbosa (Sextante)
Diário de Blindness, de Fernando Meirelles (Quasi)
A Oficina do Tempo, de Álvaro Uribe (Quetzal)
Os Guardiões da Verdade, de Michael Collins (Gradiva)
A Terceira Virgem, de Fred Vargas (Porto Editora)
Pensageiro Frequente, de Mia Couto (Caminho)
Espártaco – A Revolta dos Escravos, de Max Gallo (ASA)
O Escritor, de Yasmina Khadra (Bizâncio)
Três Mulheres Poderosas, de Marie Ndiaye (Teorema)
Estilhaços, de Adolfo Luxúria Canibal (Quasi)
A Minha Vida é uma Arma, de Christoph Reuter (Antígona)
As Suspeitas do Sr. Whicher, de Kate Summerscale (Bertrand)
Ensaios e Discursos, de Miguel Torga (Dom Quixote)
Globalização, de Mário Murteira (Quimera)
€14,99 – A Outra Face da Moeda, de Frédéric Beigbeder (Presença)
Os Imperdoáveis, de Cristina Campo (Assírio & Alvim)
Elza, a Garota, de Sérgio Rodrigues (Quetzal)
O Amor de Longe, de Amin Maalouf (Difel)
Pequenas Obras Morais, de Giacomo Leopardi (Relógio d’Água)
Crítica da Razão Criminosa, de Michael Gregorio (Dom Quixote)
Algumas Letras, de Adriana Calcanhotto (Quasi)
Histórias Devidas, de vários autores (ASA)
A Magia Sexual, de Alexandrian (Antígona)
Escorial, de Miklós Szentkuthy (Teorema)
O Meu Anjo Catarina, de Alexandre Pinheiro Torres (Caminho)
Ó, de Nuno Ramos (Cotovia)
Contos de Morte, de Pepetela (Edições Nelson de Matos)
O Arco de Nemrod, de Teresa Salema (Sextante)
As Duas Sombras, de Paulo Ramalho (íman)
Histeria, de Julia Borossa (Almedina)
Salazar e os Milionários, de Pedro Jorge de Castro (Quetzal)
Geografia do Caos, de Duarte Belo/Nuno Júdice (Assírio & Alvim)
Ei Nostradamus!, de Douglas Coupland (Teorema)
Bestas de Nenhum Lugar, de Uzodinma Iweala (Antígona)
Mr. Pip, de Lloyd Jones (Estampa)
A Vida Sexual de Fernando Pessoa, de Salomó Dori (Palimpsesto)
O Outro, de Ryszard Kapuscinski (Campo das Letras)
As Novas Confissões, de William Boyd (Dom Quixote)
Os Peixes da Amargura, de Fernando Aramburu (Minotauro)
A Noiva Indiana, de Karin Fossum (Oceanos)
Plexus, de Henry Miller (ASA)
O Grande Capital, de John Dos Passos (Presença)
Vida Dupla, de Pierre Assouline (Entre Letras)
Divisadero, de Michael Ondaatje (Porto Editora)
O Fato Cinzento, de Andrea Camilleri (Bertrand)
Falar é Fácil, de Zé Diogo Quintela (Tinta da China)
Wikinomics, de Don Tapscott (QuidNovi)
História Elementar das Drogas, de Antonio Escohotado (Antígona)
Enquanto Vivemos, de Maruja Torres (Dom Quixote)
O Melhor dos Meus Erros, de Clara Pinto Correia (Oficina do Livro)
Sentimental, de Abel Neves (ASA)
Regresso à Ilha, de Romana Petri (Cavalo de Ferro)
Digam-me como é uma árvore, de Marcos Ana (Guerra & Paz)
Gertrud, de Hermann Hesse (Difel)
Knulp, de Hermann Hesse (Difel)
Elogio da Velhice, de Hermann Hesse (Difel)
Deambulações Fantásticas, de Hermann Hesse (Difel)
Testemunhas da Guerra, de Nicholas Stargardt (Tinta da China)
Crónicas de uma Pequena Ilha, de Bill Bryson (11/17)
O Bandido Duplamente Armado, de Soledad Puértolas (Bertrand)
A Arte da Alegria, de Goliarda Sapienza (Dom Quixote)
Gasolina, de Quim Monzó (Teorema)
Diplomacia Doce e Amarga, de José Calvet de Magalhães (Bizâncio)
A Palavra Manipulada, de Philippe Breton (Caminho)
O Modelo, de Lars Saabye Christensen (Cavalo de Ferro)
América a Bem ou a Mal, de Anatol Lieven (Tinta da China)
A Melancolia do Geógrafo, de Brigitte Paulino-Neto (ASA)
Oriente, Ocidente, de Salman Rushdie (Dom Quixote)



Comentários

4 Responses to “Torres de Papel (6)”

  1. Olinda on Setembro 24th, 2011 13:06

    Um poema, esta torre de papel!

    :)

  2. Elsa on Setembro 24th, 2011 14:32

    Boa tarde.
    Descobri esta iniciativa através da minha irmã e hoje voltamos para casa com “novos amigos”. Obrigada.
    Estarei atenta para as próximas ofertas, e em vez de levar apenas dois, terei a oportunidade de mais alguns ou até estes que vieram comigo hoje.

    Cumprimentos
    Elsa

  3. Ludovina on Setembro 25th, 2011 21:52

    … e eu que não estive atenta e falhei esta belissima iniciativa! Não me perdoo.

  4. Jair on Outubro 6th, 2011 3:12

    Aqui, do outro lado do Atlântico fico cheio de inveja (no bom sentido, claro) dessas iniciativas que se fazem para difundir a literatura de um modo mais amplo, na prática mesmo. Acho que os portugueses lêem muito mais que os brasileiros (e somos muitos!). E também me parece que aí em Portugal são publicados novos livros de autores estrangeiros bem antes do que no Rio ou São Paulo. Se o bilhete aéreo não fosse tão caro ia pra uma dessas torres aí de vocês, pegar alguns livros desejados. Parabéns!

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges