Um escritor que só quer ser lido, mais nada

No Times online, vale a pena ler o desconcertante perfil de um autor de culto que nunca saiu da obscuridade: Stephen Benatar, o homem que vende os seus livros na rua como em tempos vendeu guarda-chuvas.



Comentários

2 Responses to “Um escritor que só quer ser lido, mais nada”

  1. Rita C. M. on Abril 14th, 2010 14:50

    Fez-me lembrar o nosso Fernando Grade, figura peculiaríssima. Se por acaso pressente sensibilidade nalgum desconhecido, aborda-o de forma amável (com um «gosta de poesia?») e começa a falar-lhe dos seus livros e a contar histórias. Não os vende, costuma oferecê-los, tirando-os de um saco grande que traz consigo. Já me cruzei com ele várias vezes em lugares diferentes (julgo que nunca se lembra de que já falámos anteriormente), e por esta altura já tenho uma mão cheia de livros seus. Também ele só quer ser lido, e a sua poesia, com momentos brilhantes, lê-se e relê-se com prazer.
    Visita sempre a Feira do Livro de Lisboa; com sorte, talvez este ano conversemos mais um pouco.

  2. candida on Abril 22nd, 2010 21:27

    já tive um amigo assim. no piolho. mais tarde, vendia-os. para a droga. depois perdi-lhe o rasto.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges