O que vem aí (livros comprados em Frankfurt)

Na quinta-feira, a Isabel Coutinho fez no Público um balanço das principais novidades da Feira de Frankfurt e das compras que os editores portugueses por lá andaram a fazer.
Curiosamente, dos finalistas do Man Booker Prize disponíveis (todos menos o livro de Linda Grant, já comprado pela Civilização), só Sea of Poppies, de Amitav Ghosh, para mim um dos mais fracos, é que viu os seus direitos adquiridos por uma editora portuguesa (a Presença). Das restantes aquisições confirmadas, destaco as seguintes:

Dom QuixoteThe Humbling, de Philip Roth (que só sairá nos EUA em 2009); e mais três romances de Sandór Márai

ASAThe Invisible, de Paul Auster

TeoremaViagem na Europa, de Giuseppe Tomasi di Lampedusa; The Gropers, de Tom Sharpe; mais dois livros de ensaio e um de poemas de W. G. Sebald

BertrandA Solidão dos Números Primos, de Paolo Giordano

Casa das LetrasDie Box: Dunkelkammer-Geschichten, segundo volume de memórias de Günter Grass; What I Talk about when I Talk about Running, primeiro livro de memórias de Haruki Murakami; e inéditos de Antoine de Saint-Exupéry

PresençaMuseum of Innocence, de Orhan Pamuk; e Consumed, de David Cronenberg

Porto EditoraThe Brief Wondrous Life of Oscar Wao, de Junot Díaz; Regressar a Casa, de Rose Tremain; Rossovermiglio, de Benedetta Cibrario; e The Shack, de William P. Young

QuidnoviThe House of Dajani, de Alon Hilu



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges