Maravilhas da paternidade

Agora que lhe caiu o primeiro dente, o Pedro repetiu a pergunta: «E quando cai um dente à Fada dos Dentes, o que é que ela faz?» Durante estes meses todos, ele deve ter andado a pensar na questão, porque desta vez saiu-se logo com a resposta: «Eu acho que a Fada dos Dentes põe o seu dente debaixo da almofada, como nós. Depois vem outra Fada dos Dentes mais pequena buscá-lo. Quando essa Fada dos Dentes mais pequena perder um dente, ela vai deixá-lo debaixo da sua almofada. Então, vem outra Fada dos Dentes ainda mais pequena buscá-lo. E se essa Fada dos Dentes ainda mais pequena perder um dente, põe-no debaixo da sua almofada, claro. E então vem outra Fada dos Dentes ainda mais pequena do que essa, mais pequena até do que os micróbios, buscá-lo. Depois isto continua assim, sempre. Até que a última Fada dos Dentes é tão pequena, tão pequena, tão pequena, que desaparece.»



Comentários

3 Responses to “Maravilhas da paternidade”

  1. João Ventura on Outubro 12th, 2012 12:46

    Versão infantl (e renovada) de “É tudo tartarugas por aí abaixo”… :)

  2. Silvia Mota Lopes on Outubro 12th, 2012 20:08

    A minha filha é mais prática e realista: – mãe a minha amiga disse-me para pôr o dente debaixo da almofada que a fada do dente deixa um presente…mãe a fada dos dentes não existe é tal e qual como o pai natal…o pai natal também não existe, quem nos dá os presentes são as pessoas, os pais ,os tios …
    :)

  3. José Mário Silva on Outubro 15th, 2012 10:18

    Sílvia,
    O Pedro também já descobriu que o Pai Natal não existe e as fadas também não. Mas, como qualquer bom leitor, envereda pela “suspension of desbelief”. :)

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges