Maravilhas da paternidade

Uma brincadeira tão simples. Na cama, virado para baixo, eu sou um navio. Eles fincam-se ao convés, mãos nos meus ombros, peito contra costas. À volta, sobre os lençóis, vagas imensas, tempestades, tubarões. Eu rolo para um lado e para o outro. Eles agarram-se. Eu rolo para um lado e para o outro. Eles agarram-se. Salvo-os do naufrágio com abraços.



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges