Maravilhas da paternidade

– Pai, eu nasci de dia ou de noite?
– De noite, Pedro. Aliás, de madrugada. Foi quase às três da manhã.
– Eh, pá. Três da manhã é muito tarde.
– Pois é.
– E acordaram-me?
– Se te acordámos?
– Sim. Quando eu nasci. É que a essa hora devia estar a dormir.



Comentários

2 Responses to “Maravilhas da paternidade”

  1. João Morales on Março 1st, 2013 20:56

    Genial! Para que não restem dúvidas: há mais lógicas para além da estabelecida e todas elas bem alicerçadas.

  2. maria on Março 14th, 2013 20:08

    maravilhoso!

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges