Revista ‘Os Meus Livros’ ressuscita

Foi uma morte curta. Menos de um mês após o anúncio do fecho da revista Os Meus Livros (OML), o projecto volta à vida com a mesma estrutura editorial, director (João Morales), leque de colaboradores, periodicidade e preço de capa. A diferença é que entretanto a publicação foi adquirida pela CE Livrarias (uma empresa subsidiária da Coimbra Editora), também responsável, em parceria com a LeYa, pelo novo fôlego da livraria Buchholz, em cuja festa de reabertura, hoje ao fim da tarde (festa muito concorrida, diga-se), foi anunciado o regresso da OML às bancas já em Maio.



Comentários

5 Responses to “Revista ‘Os Meus Livros’ ressuscita”

  1. Joaquim Moedas Duarte on Abril 8th, 2010 23:59

    Espero que esta ressurreição seja acompanhada de uma nova imagem gráfica que torne a revista mais atraente. A começar pela substituição da foto horripilante do Director…
    Eu sei que é difícil mas acho que o segredo poderá estar na qualidade dos textos de crítica literária e de recensão SEM CAIREM NO ESTILO HERMÉTICO e pedante dos que escrevem, não para os leitores, mas sim para impressionarem os colegas universitários e darem-se ares de intelectuais. Que acabam por serv da treta…

  2. JG on Abril 9th, 2010 9:30

    Hummm… Não acredito que o João Morales vá dirigir um órgão oficial do grupo Leya… Espero que o João continue por muitos e bons e que a revista não se “venda”

  3. Arrastão: quem não tem jesus caça com a coimbra editora ou da ressurreição d’os meus lázaros. livros, digo. on Abril 9th, 2010 10:44

    […] resumindo, esta é uma excelente notícia, e vai daqui um cheers ao joão “rua de são boaventura” morales […]

  4. SEJA – Pinus » quem não tem jesus caça com a coimbra editora ou da ressurreição d’os meus lázaros. livros, digo. on Abril 9th, 2010 11:22

    […] resumindo, esta é uma excelente notícia, e vai daqui um cheers ao joão “rua de são boaventura” morales […]

  5. vick on Abril 9th, 2010 20:49

    Fico contente, mas que sirva ao menos para fazer algumas (muitas) mudanças para tornar a revista mais atractiva, não só graficamente como também ao nível dos textos. O conteúdo é outro dos aspectos a rever.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges