Eric Hobsbawm (1917-2012)

Morreu um dos mais lúcidos e argutos historiadores do século XX, aquele a que o próprio Hobsbawm chamava o «século curto» (teria começado com a I Guerra Mundial e terminado com a queda do Muro de Berlim), a «era dos extremos». Respeitadíssimo, mesmo pelos intelectuais no extremo oposto do espectro ideológico, nunca deixou de ser marxista e ainda recentemente defendeu a relevância do pensamento de Marx no cenário da crise global, pós-colapso do sistema financeiro. Vale a pena ler o obituário e os depoimentos publicados pelo Guardian.



Comentários

One Response to “Eric Hobsbawm (1917-2012)”

  1. Alexandra Rolo on Outubro 2nd, 2012 20:49

    Perdeu-se um grande homem.
    Tenho alguns dos seus livros na minha estante e são simplesmente maravilhosos.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges