Rosa Lobato de Faria (1932-2010)

Morreu, aos 77 anos, Rosa Lobato de Faria. Foram poucas as vezes em que nos cruzámos, mas guardo dela a imagem de uma mulher delicada e inteligente, hábil com as palavras, atenta e simpática.
Mesmo depois de eu ter escrito uma recensão negativa ao seu último romance, As Esquinas do Tempo (Porto Editora, 2008), não senti da sua parte aquele calado rancor que alguns escritores fazem questão de manifestar aos críticos. Era, para usar a expressão de Eduardo Pitta, uma verdadeira «Senhora». E é assim, julgo, que será lembrada.



Comentários

2 Responses to “Rosa Lobato de Faria (1932-2010)”

  1. venancio on Fevereiro 4th, 2010 4:11

    Os «Pássaros de Seda» (1996) é um momento de pura felicidade literária.

  2. venancio on Fevereiro 4th, 2010 4:15

    P.S.

    Ah, Zé Mário, «aquele calado rancor que alguns escritores fazem questão de manifestar aos críticos» às vezes não é nada calado… e é bem manifesto. Cambada de maus perdedores.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges