‘Labirinto de letras’

labirintohatherley.jpg

Eis um belo exemplo da poesia visual de Ana Hatherly, autora que celebra este ano cinco décadas de carreira literária e que publicou recentemente, na &Etc, um livrinho provocador e irónico, onde prova que não se deixou amolecer pela consagração (lá iremos ao livrinho, lá iremos).
A Biblioteca Nacional dedica-lhe uma mostra evocativa, até 5 de Abril.

[Imagem encontrada aqui]

Lembrete

capa 'Neo-Penélope'

Mais logo, pelas 18h00, o novo livro de Ana Hatherly (A Neo-Penélope, &Etc) vai ser apresentado, no Salão Nobre da Universidade Aberta, por Teresa Joaquim e Anabela Galhardo Couto. Ainda não li o livro mas o entusiasmo do Rui Almeida é um excelente sinal.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges