Quando Eric Hobsbawm escrevia sobre jazz

Escondido atrás do pseudónimo Francis Newton (nome de um trompetista vermelho que tocava com Billie Holyday), o historiador marxista Eric Hobsbawm fez, durante uma década, crítica de jazz para o New Statesman. Agora, recorda esses belos tempos (anos 50/60) num artigo a publicar esta semana pela London Review of Books, no fim do qual admite a sua «spectacular failure to recognise the potential of the Beatles».

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges