O mundo de J.G.B. (na internet)

A partir do site Ballardian, chega-se a quase todas as latitudes e longitudes ballardianas. E depois há o BallardoTube.

Ballardiana

Há uns tempos, o Luís Quintais escreveu vários posts, no blogue Os Livros Ardem Mal, sobre J.G. Ballard. Vale a pena voltar a todos eles, mas sobretudo a este, a este e a este.
Já hoje, Quintais pré-publica um ensaio a editar no próximo número da revista Nada: Acidente e Simulação em J.G. Ballard. A ler aqui.

Um título genial

Why I Want to Fuck Ronald Reagan.

J.G. Ballard (1930-2009)

Morreu o mestre das distopias tecnológicas, um dos poucos escritores que se atreveu a explorar os limites mais sombrios da condição humana.
Obituários na imprensa britânica: The Guardian, The Daily Telegraph, The Independent, The Times.

10h57

Só agora me apercebi de uma perda descomunal: J.G. Ballard.

JG Ballard by himself

Just because you’re right, it doesn’t mean you shouldn’t be viewed with great suspicion“, diz o autor de Crash, numa extraordinária conversa com James Campbell, publicada ontem no The Guardian.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges