Um homem, dez cantos

Durante o dia de hoje, das dez da manhã à meia-noite, no Pequeno Auditório do CCB, o actor António Fonseca vai recitar de cor o texto integral d’ Os Lusíadas, de Luiz Vaz de Camões. Trazer assim uma epopeia inteira dentro da cabeça: eis um acto de grande coragem intelectual. Eu tentarei assistir aos cantos IX e X, lá mais para a noitinha.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges