Fragmentos de ‘José e Pilar. Conversas Inéditas’

No próximo dia 18 será lançado o livro, com chancela da Quetzal, que reúne as muitas conversas entre José Saramago e Pilar del Río que o realizador Miguel Gonçalves Mendes não conseguiu incluir no seu documentário José e Pilar. Até lá, e a partir de hoje, o blogue O Caderno de Saramago publicará diariamente excertos da obra.

Um bom candidato

O documentário José e Pilar é o candidato português aos Óscares de 2012. E eu gostava muito que o seu autor, Miguel Gonçalves Mendes, não só ganhasse a estatueta como aproveitasse para falar um pouco do Nobel português ao público do Kodak Theatre e às centenas de milhões de espectadores que assistem à cerimónia pelo mundo fora.

Um mail de Miguel Gonçalves Mendes

Chegou-me hoje ao inbox, reenviado:

«Caros amigos e amigas,
Como sabem, o filme José e Pilar estreou na passada quinta-feira. A afluência em sala tem sido reduzida, fenómeno já habitual no cinema que não seja made in hollywood, pelo que, se gostaram do filme, pedimo-vos que passem palavra e que o divulguem; pois a primeira semana é crucial para que os exibidores o mantenham em sala.
O filme está em exibição em Lisboa, Porto, Cascais, Almada, Aveiro, Braga e Coimbra (nestas 3 últimas cidades é onde tem tido piores resultados, apesar de todas a críticas favoráveis).
No Brasil já foi visto por várias dezenas de milhar de pessoas e no próximo Sábado, dia 27 de Novembro, José e Pilar será filme de abertura do festival de Ronda (Espanha), onde será apresentado pelo Juiz Baltazar Garzón.
Um grande abraço a todos e obrigado por tudo,
Miguel»

Se puderem, passem mesmo a palavra. E, sobretudo, vejam o filme.

‘José e Pilar’ (trailer)

O documentário de Miguel Gonçalves Mendes estreia na próxima quinta-feira, dia 18.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges