Quando eu quis ouvir Umberto Eco e não me deixaram

Umberto Eco foi hoje convidado para o Sofá Azul, na Feira do Livro de Frankfurt. As perguntas eram feitas em alemão, por um jornalista alemão. O escritor respondia em italiano, mas o som da sua voz era quase imperceptível. Através das colunas de som, viradas para o público (numeroso), só se ouvia a tradução simultânea… em alemão. Ao fim de cinco minutos, fui-me embora. Eu e uma parte significativa dos espectadores.

Nove minutos de lucidez contra a esquizofrenia política de Berlusconi

Cortesia de Umberto Eco: intelectual à moda antiga, escritor, pensador e consciência crítica.

Eis o tipo de previsão que geralmente falha

Segundo Umberto Eco, «os livros electrónicos não vão durar 10 anos».

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges